MATANDO A SUA SAUDADE - GRUPO DE AMIGOS

MATANDO A SUA SAUDADE - GRUPO DE AMIGOS
MATANDO A SUA SAUDADCE - GRUPO DE AMIGOS

RÁDIO PALESTINA FM 104,9

rádio palestina fm

domingo, 30 de setembro de 2012

Lauro Assunção - Um ritual emocionante


  • Ibicaraí

    Um ritual emocionante

    Teremos em Ibicaraí um rito pós-eleitoral pra lá de complicado. Na próxima semana, passadas as comemorações dos vitoriosos, a Junta Eleitoral da comarca irá proclamar oficialmente os eleitos: prefeito, vice-prefeito e vereadores.

    Em seguida, teremos a tão importante diplomação, quando os eleitos se tornarão aptos a tomar posse em seus respectivos cargos.

    O problema é que a Resolução 22.992/2009, do TSE, estabelece que nenhum candidato com registro indeferido poderá ser diplomado, ainda que haja recurso pendente. Nesse caso, nem diploma, nem posse.

    Se o eleito não alcançar a maioria dos votos válidos, o segundo colocado na eleição será proclamado vencedor e tomará posse do cargo, situação que perdurará até o julgamento final do registro do mais votado. Evidente que essa situação só será possível nos municípios onde haja mais de dois candidatos. É o que nos informa a Matemática.

    No caso de Ibicaraí, a hipótese é diferente, pois, com apenas dois candidatos, aquele que for eleito terá tido, logicamente, a maioria dos votos válidos. Nesse caso, a perdurar a atual situação de indeferimentos de registro, assume o cargo de prefeito o presidente da Câmara de Vereadores, até o julgamento final pelo TSE.

    Se o TSE, na sequência, deferir o registro do candidato mais votado, ou seja, o eleito, ele será diplomado e tomará posse no cargo naturalmente. Se o TSE mantiver o indeferimento, haverá nova eleição para prefeito e vice, já que os votos do candidato eleito, que representam mais de 50%, serão considerados nulos.

    Depois de muitos risos e lágrimas, uma nova eleição não deixa de ser interessante, pois servirá para democratizar a alegria, além de espantar o tédio por mais algum tempo.

    Uma sociedade democrática não pode existir sem eleição. E onde houver eleição, certamente haverá confusão. Só que aqui exageraram na dose.

‘Quem não reagiu está vivo’, diz Fleury sobre o Carandiru


Luiz Antônio Fleury Filho, governador do Estado de São Paulo à época do massacre, falou ao 'Estado' sobre ação

Estadão 30/09/2012 08:54 
 
 
Foto: Divulgação
Massacre ao presídio do Carandiru aconteceu às vesperas das eleições para a prefeitura da cidade de São Paulo em 1992 
 
 
O ex-governador Luiz Antônio Fleury Filho comandava o Estado de São Paulo em outubro de 1992, data do Massacre na Casa de Detenção do Carandiru, que causou a morte de 111 presos. Na semana passada, ao falar do episódio, ele parafraseou o atual governador Geraldo Alckmin (PSDB), que no dia 12 justificou nove mortes em uma operação das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) com a polêmica sentença: ‘Quem não reagiu está vivo’. Fleury falou com o Estado sobre o Carandiru.
Passados 20 anos, como o senhor enxerga esse evento?
Muita gente discute se a PM deveria entrar ou não. Ela tinha de entrar naquele momento, tanto que existiam dois juízes corregedores que disseram em todos os depoimentos que a entrada foi legítima. Eu não dei a ordem para entrar. Mas, se estivesse no local, daria.
O que causou a violência?
Logo depois que o coronel Ubiratan (Guimarães) entra e controla o térreo, explode uma tela de televisão na cabeça dele. Ele perde os sentidos, desmaia e aí deixa de haver comando. É a partir desse momento que começam a surgir várias versões sobre as quais não quero me estender porque ainda cabe à Justiça decidir.
Como o senhor viu o episódio?
Eu acho que já estava escrito. Maktub, como falam os árabes. Eu acredito que, se o Ubiratan não tivesse desmaiado o resultado teria sido outro. E a gente não pode esquecer que eram mais de 2 mil presos. Aí eu uso uma frase do governador Geraldo Alckmin, que ele falou recentemente: "Quem não resistiu está vivo". Eu tenho informações de como as coisas se passaram lá dentro. Mas nós ainda temos um julgamento pela frente e eu não quero que minhas palavras sejam mal utilizadas.
Como isso marcou o senhor?
Fizemos pesquisa na época: 50% aprovavam e 50% não aprovavam. Acabou não afetando minha popularidade. Mas politicamente me atingiu. Esqueceram todo o meu passado e eu passei a ser considerado como alguém que não tem outras qualidades e tivesse adotado atitudes quase de genocídio, o que não é verdade. Eu recebo ameaças até hoje. Ameaças de morte. Isso me obriga a uma série de cuidados. Já mudei telefone, mas não adianta.
O massacre ocorreu na véspera das eleições para prefeito. O senhor tentava eleger o Aloysio Nunes Ferreira. Isso influenciou na operação?
Não. Eu estava em Sorocaba, apoiando um candidato com mais chance. O Aloysio seria derrotado. Além disso, quando eu peguei o helicóptero, a informação é de que o impasse seria negociado. A invasão ocorreu quando eu estava no ar. Eu não tinha como dar a ordem. Depois, anunciamos tudo quando soubemos realmente quantos tinham morrido.
 

Dataprev: concurso para 8.626 vagas e salários de até R$ 5,2 mil


Provas objetivas terão seleção de língua estrangeira, portanto, o candidato deverá escolher entre inglês ou espanhol

Estadão 30/09/2012 08:59 
 
Foto: Divulgação

A Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) abriu concurso para cadastro de reserva de 8.626 vagas de várias áreas em cargos de nível médio e nível superior. Os salários vão de R$ 2.592,66 a R$ 5.291,10. Na Região Sudeste, as vagas são para Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Vitória. As inscrições devem ser feitas até 17 de outubro pelo site www.quadrix.org.br. As taxas são de R$ 35 para os cargos de nível médio e de R$ 60 para os cargos de nível superior. A previsão é de que as provas objetivas e discursivas, com duração de 4 horas, sejam aplicadas no dia 11 de novembro. As provas objetivas terão seleção de língua estrangeira, portanto, o candidato deverá escolher entre inglês ou espanhol.
 

Com pouca utilização, orelhões darão acesso à internet

Anatel busca nova função para os aparelhos, que têm sido cada vez menos usados

Estadão 30/09/2012 09:05 
 
 
Foto: Márcio Fernandes/Agência Estado
Anatel buscas novas funções para orelhões, que tem sido pouco utilizados 
 
Condenados à obsolescência após a popularização dos smartphones e a queda no preço dos serviços de telefonia móvel, os orelhões procuram um novo papel a desempenhar. Proposta em análise na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) pretende transformá-los em transmissores de Wi-Fi para desafogar a rede 3G ou em pontos de acesso à internet com visor, para consultar dados como mapas, endereços e telefones.
Já existem orelhões com sinal de Wi-Fi em testes no Rio de Janeiro. A vantagem, destaca a conselheira Emília Ribeiro, da Anatel, é que a faixa de uso do serviço não está congestionada - ao contrário do 3G.
Caberia às concessionárias estabelecer uma forma de cobrança pelo uso desse serviço de telecomunicações. Também está em discussão elevar a quantidade de meios para pagamento da ligação, com o uso de cartão de crédito e moedas.
Outra proposta prevê a instalação de telas e visores nos orelhões, para que usuários possam, por exemplo, acessar catálogos de telefones e endereços ou procurar a localização de um restaurante.
"Seria uma forma de aumentar a inclusão digital no País e facilitar a vida de turistas brasileiros e estrangeiros", afirma Emilia Ribeiro. O desafio, ela reconhece, é o combate ao vandalismo, que danifica boa parte dos orelhões em todo o País.
"Os orelhões estão perdendo, rapidamente, a utilidade do passado. Mas eles estão lá, nas ruas, e devem servir para novas prioridades. Trata-se de um patrimônio público que não precisa ser construído, apenas modificado", disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
Foi por essa razão que a Anatel decidiu ouvir a população e elaborar um estudo para tentar revitalizar o telefone público. A proposta recebeu mais de 200 contribuições, muito mais do que o órgão regulador costuma obter em audiências públicas sobre outros temas, sinal de que o assunto desperta a atenção dos usuários.
A intenção é aumentar o uso do orelhão das grandes cidades, onde existem 225 mil aparelhos, e tornar o negócio rentável às concessionárias, afirma a conselheira do órgão regulador e relatora da proposta, Emilia Ribeiro.
Interior
Os orelhões, porém, só lutam contra o desprestígio nos grandes centros. No interior, há locais que contam apenas com eles para que a população possa se comunicar. Nessas áreas se concentram 760 mil terminais de telefone público.
"Existem muitas áreas nas Regiões Norte e Nordeste que não possuem nenhum tipo de acesso à telefonia celular", afirmou a conselheira. Nas contas da Anatel, são 22.157 localidades em todo o País onde há aglomerados de habitantes, com conjuntos de casas e estabelecimentos comerciais permanentes.
"Nesses locais, as pessoas cuidam muito dos orelhões e, em alguns casos, até constroem cabines em volta deles para preservá-los, pois é a única forma de comunicação", afirmou.
A conselheira lembra ainda que em 25 mil localidades com menos de 100 habitantes - onde nem sequer há orelhões, pois as concessionárias não são obrigadas a instalá-los - os recursos arrecadados com o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) deveriam ser direcionados para este fim.
A proposta da Anatel e as contribuições dos usuários serão analisadas pela área técnica do órgão regulador e enviadas à Advocacia-Geral da União (AGU), que emitirá um parecer. As inovações serão votadas e aprovadas ainda neste ano pela Anatel.
 

Coprodução brasileira é indicação da Argentina para o Oscar


Infância Clandestina conta história de garoto de 12 anos e sua família durante a ditadura argentina

Rolling Stone 30/09/2012 09:58 
 
Foto: Reprodução

Uma coprodução brasileira e argentina é a indicação do país vizinho para concorrer a uma vaga na categoria de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar. Infância Clandestina, baseado em fatos reais vividos pelo diretor Benjamim Ávila, conta a história de um menino de 12 anos e sua família durante a ditadura argentina.
Ávila, que também coescreveu o roteiro, e o produtor Luis Puenzo estarão no Rio de Janeiro para exibição do filme no Festival do Rio, no dia 7 de outubro, às 19h15, no Cine Odeon.
Os brasileiros Mayana Neiva e Douglas Simon estão no elenco do longa, que ainda conta com Natalia Oreiro, Ernesto Alterio, Cesar Troncoso e o garoto Teo Gutierrez Moreno (foto). Veja o trailer abaixo.

 
 

Presidente do Real Madrid defende Kaká: 'Nos deu muito dinheiro'


Florentino Pérez também nega que o clube queira vender o jogador brasileiro

Globo Esporte 30/09/2012 10:12 
 
Foto: Susana Vera/Reuters
Kaká vibra com seu gol no Santiago Bernabéu

O presidente do Real Madrid defendeu a contratação do meia Kaká perante os sócios do Real Madrid. Neste domingo, Florentino Pérez protagonizou a assembléia de sócios do clube e, entre outras explicações, destacou que o brasileiro foi importante para o clube financeiramente desde sua aquisição em 2009, apesar de esportivamente ainda não ter rendido o esperado.
- Kaká nos deu muito dinheiro. Quando fizemos este forte investimento (cerca de R$ 180 milhões), sabíamos que nos daria muitas receitas. Desde o ponto de vista econômico ele nos saiu muito bem - justificou.
O dirigente também garantiu que jamais pensou em negociar o meia com um outro clube, o que foi fortemente cogitado durante a última abertura da janela de transferências da Europa.
- Não dissemos que gostaríamos de vender Kaká, não tentamos vendê-lo. É um recurso que já está amortizado. É seu quarto ano e lhe restam dois - acrescentou Pérez.
 

Juliana e Larissa são tricampeãs em GO e levam o 2º título na temporada


Campeãs mundiais superam Val e Taiana por 2 sets a 0

Globo Esporte 30/09/2012 10:58 
 
Foto: Maurício Kaye/CBV
Juliana brilha no bloqueio e conduz tricampeonato em GO com Larissa

A energia de Val e Taiana era o que preocupava Juliana. Mas já no primeiro set da final feminina em Goiânia, o trunfo das adversárias foi neutralizado. Brilhando no bloqueio, a cearense derrubou o moral das rivais e viu Larissa alargar o placar com largadas precisas. Em dois sets, com parciais de 21/14 e 21/17, as campeãs mundiais conquistaram o tricampeonato na capital goiana (também venceram em 2005 e 2010, duas últimas edições realizadas na cidade) e o segundo título da temporada 2012/2013 do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia.
- Eu fui premiada com alguns bloqueios. É a minha função, mas nem sempre dá certo. Graças a Deus neste domingo deu. Com isso elas ficaram um pouco mais receosas no ataque e nós conseguimos neutralizar o ímpeto delas. Nossa intenção era essa e foi cumprida. Gostei muito desse campeonato, porque eu e Larissa fizemos jogos muito bons, mantendo o mesmo nível. Esperamos que isso continue assim - disse Juliana, eleita a melhor jogadora da final.
O terceiro lugar ficou com Talita e Maria Elisa. A dupla, nona colocada nos Jogos de Londres, derrotou Lili e Rebecca por 2 sets a 0, em parciais de 21/15 e 21/17.
Juliana toma conta da rede
O início do jogo resumiu-se à eficiência do bloqueio de Juliana. A cearense pontuou duas vezes no fundamento e amorteceu vários ataques rivais, facilitando a defesa de Larissa. Quando o placar marcou 7 a 1, Val e Taiana pediram tempo. No retorno à quadra, a sorte manteve a vantagem das medalhistas olímpicas, com um saque de Juliana batendo na fita e caindo caprichosamente na quadra adversária.
Larissa manteve o ritmo explorando as largadas no fundo de quadra, sempre por cima do bloqueio de Val. A carioca e Taiana roubaram alguns pontos com pancadas na diagonal longa. Em uma paralela para fora de Larissa, encurtaram a diferença para apenas dois pontos (16 a 14). Neste ponto, a reação estagnou. Uma série de ataques na rede de Taiana deu números finais à parcial: 21/14.
A segunda etapa começou mais equilibrada, mas Ju e Larissa foram aos poucos construindo uma vantagem confortável.Com muita categoria, a capixaba furou repetidas vezes o bloqueio de Val e abriu 12 a 6 no placar, forçando mais um pedido de tempo das adversárias.
Taiana e Val cresceram de rendimento no ataque, mas não o bastante para reverter o panorama do jogo. As duas ainda salvaram dois match points, um deles em bloqueio perfeito de Val, mas não conseguiram evitar o tricampeonato de Juliana e Larissa em Goiânia: 21/17.
 

Orçamento para Copa de 2018 já chega ao dobro do previsto


Rússia prevê gastar R$ 38,9 bilhões com estádios e obras de infraestruturas

Estadão 30/09/2012 12:40 
 
Foto: Ilustração

A Rússia revelou neste domingo que o orçamento preliminar para a realização da Copa do Mundo de futebol de 2018 já chegou a quase o dobro do que o previsto quando o país foi escolhido para sediar o torneio, em 2010.
O ministro dos Esportes, Vitaly Mutko, anunciou um orçamento de 600 bilhões de rublos (cerca de R$ 38,9 bilhões), dos quais quase 40% serão gastos para a construção ou renovação de estádios.
O restante deverá ser gasto com obras de transportes e infraestrutura.
Segundo Mutko, os custos deverão ser divididos entre os setores público e privado.
No Brasil, que organiza a próxima Copa do Mundo, em 2014, o último levantamento divulgado pelo governo, em maio, indica um orçamento total de R$ 27,1 bilhões.
Qualidade 'impressionante'
A Rússia foi escolhida pela Fifa como sede da Copa de 2018 numa eleição polêmica, em que venceu a favorita Grã-Bretanha e as candidaturas conjuntas de Portugal e Espanha e de Bélgica e Holanda.
Onze cidades-sede foram escolhidas para abrigar os jogos da Copa, todas na parte europeia da Rússia: Moscou (com 2 dos 12 estádios), São Petersburgo, Sochi, Yekaterimburgo, Kazan, Nizhny Novgorod, Rostov-on-Don, Samara, Kaliningrado, Volgogrado e Saransk.
Em um comentário durante a mesma conferência em Moscou na qual foram anunciados o orçamento e as sedes, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou que, se depender da proposta russa, a qualidade dos estádios em 2018 será "impressionante".
O presidente da Fifa, Sepp Blatter, afirmou por sua vez que o futebol está se expandindo o tempo todo.
"Vocês podem imaginar que tivermos um representante da Síria nos comitês da Fifa na semana passada e eles jogam futebol na Síria?", disse. "Talvez não em Aleppo agora, mas eles jogam futebol na Síria", disse.
A cidade de Aleppo sofre com a violência do conflito entre as forças que tentam derrubar o presidente Bashar Al-Assad e a repressão oficial do governo sírio.
"Vocês sabiam que no Afeganistão eles têm uma liga de futebol? O futebol é jogado em todos os lugares. O futebol dá às pessoas esperança e conecta essas pessoas", afirmou Blatter.
Ele observou ainda que em 2018 a Copa do Mundo chegará pela primeira vez à "parte leste da Europa".
 

Armas de Bonnie e Clyde vão a leilão nos Estados Unidos


História do casal de assaltantes mortos pela polícia em 1934 foi transformada em filme vencedor de 2 Oscars em 1967

BBC Brasil 30/09/2012 13:03 
 
Foto: AP
A empresa estima entre US$ 150 mil e US$ 300 mil o valor dos lances pelo revólver

As armas usadas pelo notório casal de assaltantes americanos Bonnie Parker e Clyde Barrow vão a leilão neste domingo nos Estados Unidos.
A história de Bonnie e Clyde, que morreram cravejados de balas pela polícia em 1934, foi transformada em 1967 em um filme vencedor de dois Oscars, com Warren Beatty no papel de Clyde e Faye Dunaway no papel de Bonnie.
Os crimes cometidos pela dupla em pleno auge da Grande Depressão os colocou como figuras de destaque no imaginário americano.
As armas do casal serão vendidas como parte de um leilão intitulado American Gangsters, Outlaws and Lawmen (Gangsters Americanos, Foras da Lei e Homens da Lei), realizado pela companhia de leilões RR Auction no Estado de New Hampshire.
A empresa estima entre US$ 150 mil e US$ 300 mil (R$ 300 mil a R$ 600 mil) o valor dos lances pelo revólver Colt Detective Special .38 de Bonnie e pela pistola 1911 Army Colt .45 de Clyde.
O leilão terá também pertences de Al Capone e do detetive Eliot Ness, entre outros nomes conhecidos.
'Tragédia de Shakespeare'
Bonnie Parker e Clyde Barrow ganharam notoriedade por uma série de assaltos a banco e assassinatos até serem mortos pela polícia em uma emboscada em 23 de maio de 1934.

Além das armas que o casal portava, também deverão ser leiloados objetos retirados do carro onde eles foram mortos, como o estojo de maquiagem de Bonnie e um maço de fotos.
O professor aposentado de história E.R. Milner afirma que é clara a razão pela qual o casal ganhou tanta notoriedade.
"Os americanos e, acredito, a maioria das pessoas, adoram amantes... e aqui estavam estes jovens no meio da pior depressão econômica da história do mundo lutando pelo que acreditavam que era certo e amando um ao outro", disse ele à BBC.
"Era quase como uma tragédia de Shakespeare transportada para uma estrada poeirenta da Louisiana", afirmou.
 

Governo muda cálculo, e cerveja terá aumento menor a partir de segunda

Impacto de 25% na alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) será menos sentido pelo consumidor

Terra.com.br 30/09/2012 14:06 
 
 
 
Foto: Ilustração
 
Após mudança de cálculo e acordo com as fábricas, o governo decidiu reduzir o aumento no preço da cerveja, que será sentido a partir da próxima segunda-feira. O valor médio da cerveja teria aumento de 2,85% para o consumidor no dia 1º de outubro. Mas uma mudança na tributação anunciada nesta sexta pela Receita Federal reduziu essa alta para 2,15%. O reajuste para as demais bebidas frias (refrigerante, água e isotônicos) será mantido em 2,85%.

Conforme o acordo em vigor até então, haveria um aumento de 25% na tributação para as fábricas, que seria diluído nos próximos quatro anos a partir de 1º de outubro. Mas, com a nova regulamentação, o impacto de 25% na alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), PIS e Cofins será menos sentido pelo consumidor de cerveja a partir da próxima segunda-feira. O produto terá reajustes semestrais, com aumento de 0,2% em abril de 2013 e pelos seis anos seguintes.


A renúncia fiscal será de R$ 76,3 milhões em 2012 e de R$ 401,1 milhões no ano que vem. Segundo o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, a queda na arrecadação de impostos com esses setores será compensada em outros segmentos, já que o governo lançou, em setembro, uma medida para incentivar a aquisição de maquinário e a realização de investimentos pela indústria brasileira.


"Se alavanca a aquisição de caminhões, por exemplo, alavanca a arrecadação ou reduz a perda de arrecadação em outros segmentos. Também se espera recuperar investimento a arrecadação em outros setores. O compromisso feito com a indústria é que ela traga mais investimentos em novas plantas, aumente a capacidade produtiva, aumentando a oferta de emprego, renovação da frota de caminhões", explicou.

 

 

Pesquisa inédita mostra que 7,9% das crianças no País têm enxaqueca

Autor do estudo alerta que a doença pode ajudar no desenvolvimento de dificuldades emocionais

R7.com 30/09/2012 14:00 
 
 
Foto: Ilustração


Queixas frequentes de dor de cabeça em crianças devem ser levadas a sério. Um estudo recente concluiu que 7,9% das crianças brasileiras de 5 a 12 anos têm enxaqueca. O levantamento, apresentado este mês no 26.º Congresso Brasileiro de Cefaleia, é o primeiro a avaliar a prevalência da enxaqueca infantil no País.
O autor do estudo, o neurologista Dr. Marco Antonio Arruda, diretor do Instituto Glia de Cognição e Desenvolvimento, alerta que a doença pode prejudicar a criança em outras áreas. ?
— Ao contrário do que o leigo geralmente pensa, criança tem enxaqueca e é uma doença que traz prejuízos. Quando não recebe atendimento adequado, essa criança pode desenvolver dificuldades emocionais.
Outra conclusão é que crianças com cefaleia têm o desempenho escolar prejudicado. Os resultados completos serão publicados na edição de outubro da revista científica Neurology. Apenas 17,9% das crianças brasileiras nunca se queixaram de dores de cabeça, de acordo com a investigação. E, além dos 7,9% que têm enxaqueca episódica, 0,6% apresenta a forma crônica da doença, que se caracteriza por dores em mais de 15 dias por mês.
Quanto ao impacto nas atividades escolares, o levantamento descobriu que, na população com enxaqueca, o risco de ter dificuldade em prestar atenção na aula é 2,8 vezes maior do que entre as crianças saudáveis. Já o risco de ter um desempenho abaixo da média é 32,5% maior entre as com enxaqueca episódica e 37,1% maior entre as com enxaqueca crônica.
O problema também é motivo de faltas: 32,5% das crianças com enxaqueca episódica perdem dois ou mais dias de aula por causa da dor. Além disso, os sintomas de depressão e ansiedade têm um risco 5,8 vezes maior de aparecerem nas crianças com enxaqueca. Arruda coordena uma comunidade acadêmica que integra neurologistas e educadores.
Em 2008, foram recrutados 124 professores que faziam parte dessa comunidade e estavam dispostos a participar da pesquisa. Eles foram treinados para a aplicação de questionários e a colheita da amostragem ideal. No total, foram avaliadas 5.671 crianças de 18 Estados e 87 cidades brasileiras.
Para identificar os sintomas relativos à cefaleia, os professores aplicaram um questionário validado cientificamente para os pais das crianças. Já a avaliação do desempenho escolar foi preenchida pelos próprios professores. Em seguida, esses dados foram cruzados para se encontrar a relação entre a enxaqueca e os estudos.
De acordo com o neurologista do Hospital Israelita Albert Einstein Mario Fernando Prieto Peres, os principais sinais de que a criança pode estar sofrendo de enxaqueca, além das queixas frequentes de dor de cabeça, são enjoo, vômito, incômodo com luz ou barulho, relato de alteração visual e de dores pulsantes.
O neuropediatra Carlos Takeuchi, do Hospital Infantil Sabará, observa que, no caso das crianças, gatilhos comuns para a cefaleia são excesso de sol, longos períodos de jejum e o consumo de alguns alimentos.
Atualmente, o tratamento para enxaqueca infantil segue três passos: analgésicos para as crises, alteração de hábitos que desencadeiam a dor e, caso as mudanças não sejam suficientes para cessar o problema, aplica-se também um tratamento profilático com medicamento de uso contínuo.
As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.
 


Tenente que beijava mulheres à força volta a trabalhar na PM

Ele havia sido afastado do cargo e vai desempenhar função administrativa

R7.com 30/09/2012 14:48 
 
 

Foto: TV Record Brasília / Reprodução
Câmeras de segurança de bar flagraram ação de ex-tenente]


O tenente-coronel Francisco Eronildo Feitosa Rodrigues, acusado de beijar duas mulheres à força,  vai voltar a trabalhar na Polícia Militar. Ele vai desempenhar funções administrativas. Após a denúncia, o militar havia sido afastado do cargo. A decisão já foi publicada no Diário Oficial do DF. Ele foi flagrado por câmeras de segurança de um bar em Vicente Pires, região administrativa do Distrito Federal. O policial deve continuar em função administrativa até que o inquérito sobre o caso de abuso sexual seja concluído.
Eronildo era  comandante do BPTrans (Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do DF) e tenente-coronel da PM. Ele é acusado de tentar beijar e abraçar duas mulheres à força em Vicente Pires, região administrativa do DF. Ele estaria bêbado e teria mostrado a arma para intimidar as vítimas.
Tudo teria acontecido na madrugada de 26 de agosto dentro de um bar. A primeira vítima foi uma funcionária do comércio que limpava o chão e ajudava a fechar o local.
 

Clássicos da literatura ganham versão em quadrinhos


Obras de Machado de Assis, Monteiro Lobato, Júlio Verne, Dante Alighieri e Leon Tolstoi são adaptadas

O Estado de S.Paulo 30/09/2012 15:31 
 
Foto: Reprodução
Quadrinhos de
Os quadrinhos, quem diria, já foram acusados de dar preguiça mental às crianças e ter uma linguagem excessivamente simplista. Eram vistos com maus olhos pelos adultos e passavam longe das salas de aula. Mas o cenário mudou e hoje, mais do que absolvidos, viraram objeto de desejo de leitores, escolas e editoras.
Especialistas e editores consideram o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), de 2006, o marco dessa mudança. Foi naquele ano que o governo federal, por meio do Ministério da Educação (MEC), comprou e distribuiu para a rede pública, pela primeira vez, literatura em quadrinhos. "Com o PNBE, as editoras puderam tirar os quadrinhos do underground e direcioná-los para um público maior", afirma Ivan Pinheiro Machado, editor da L&PM Editora.
Uma atmosfera mais favorável a essa linguagem, porém, havia começado a se desenhar em 1996, quando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) passou a recomendar "formas contemporâneas de linguagem e manifestações artísticas nos ensinos fundamental e médio", conta a pesquisadora em quadrinhos Renata Borges, diretora editorial da Peirópolis.
Em 1997 houve outro avanço, com o lançamento dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). "Essas diretrizes colocavam o letramento como a capacidade não apenas de ler textos literários, mas vários tipos de produções, abrindo espaço para os quadrinhos", afirma Renata.
A tendência da literatura em quadrinhos - como é chamada a adaptação de textos clássicos para a linguagem HQ - não é nova, mas ganhou força nos últimos anos. Machado de Assis, Raul Pompeia, Monteiro Lobato, Dante Alighieri e Júlio Verne são apenas alguns escritores que tiveram textos recém-adaptados.
Roteiristas e desenhistas afirmam que, para se fazer uma boa adaptação, é preciso um mergulho profundo na obra. Além da leitura atenta, é necessário pesquisar imagens de referência que ajudem a recriar a ambientação da época: geografia, arquitetura, mobiliário, roupas, costumes e formas de manifestar os sentimentos, entre outros tantos aspectos. "É preciso cuidado para não cometer gafes na hora de representar essas coisas. É um trabalho bastante delicado de documentação", diz o ilustrador Rodrigo Rosa, que assina a adaptação de Dom Casmurro, de Machado de Assis, com o escritor e roteirista Ivan Jaf, lançamento da Editora Ática.
As adaptações são feitas basicamente de duas formas. Quando o texto permite, muitos editores optam por utilizá-lo em sua forma original. Porém, na maioria das vezes, a linguagem tem de ser adaptada, o que faz surgir uma nova obra. "Como são linguagens diferentes, com recursos diferentes, há inevitáveis mudanças em relação ao texto original, independentemente do nível de fidelidade que se tenha. É, portanto, outra obra. Há uma tendência de se enxergar as duas produções (a original e a adaptada) como uma mesma obra, o que é um equívoco", afirma Paulo Ramos, professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pesquisador de HQs. O mercado hoje também enxerga dessa forma. Antigamente era o nome do escritor do texto original que aparecia nas capas das publicações; agora, os direitos da versão HQ ficam com o roteirista e o quadrinista.
Especialistas e roteiristas afirmam que é possível, sim, manter a densidade da obra original. "Muitas vezes a densidade está na ideia ou na atmosfera, não na sintaxe. É claro que a linguagem e o estilo do autor não podem ser mantidos integralmente em um outro formato nem é esse o objetivo da adaptação", diz Jaf, que faz roteiros para HQ desde os anos 1980 e já adaptou Edgar Alan Poe e Júlio Verne, além de inúmeros escritores brasileiros. "Com apenas um desenho se pode mostrar a paisagem que José de Alencar leva cinco páginas para descrever com palavras, mas isso não impede que o leitor a sinta densamente."
Apesar de ser cada vez mais aceita, a literatura em quadrinhos enfrenta a resistência de quem acredita que os mais jovens podem se contentar em ler essa versão, apontada por grande parte dos leitores como mais divertida, e fugir de vez do texto original. Mas a tese é questionada. "Não precisamos fazer nenhum esforço para afastar os leitores dos textos clássicos: o sistema educacional já faz isso por si mesmo", afirma Marcelo Quintanilha, responsável por todo o processo de adaptação de O Ateneu, de Raul Pompeia, também da Editora Ática. Quintanilha acredita que uma boa adaptação pode incentivar o leitor a buscar o texto clássico. A escritora e roteirista Denise Ortega, autora da versão HQ de Os Doze Trabalhos de Hércules, de Monteiro Lobato, editado recentemente em uma caixa com outros cinco livros pela Editora Globinho, compartilha a opinião. "Somos visuais. Os quadrinhos podem ser o primeiro contato do leitor com a história, assim como o cinema. Quando O Senhor dos Anéis virou filme, por exemplo, houve uma grande procura pelos livros."
Para Jaf, cada meio fornece uma experiência única e é justamente essa diferença que precisa ser valorizada em cada adaptação. "Essas novas formas de leitura não afetam o original. Ele continuará sempre lá, preservado em seu formato, sem correr nenhum perigo."
o


Homem é preso por elogiar assassino de policiais no Facebook


Jovem vai responder judicialmente por fazer 'comentário grosseiro'

G1 30/09/2012 14:30 
 
Foto: Reprodução
Dale foi o responsável pelo assassinato

A polícia da Grande Manchester, na Inglaterra, identificou e prendeu um homem de 22 anos, morador da cidade de Liverpool, que teria criado páginas no Facebook elogiando um homem que assassinou duas policiais em um ataque brutal no início de setembro.
Policiais foram brutalmente assassinadas (Foto: Reprodução)As policiais que foram brutalmente assassinadas (Foto: Reprodução)


O criminoso Dale Cregan teria feito uma denúncia de assalto para atrair as policiais para sua casa antes de atacá-las. As investigações ainda não reveleram um motivo para o crime e o próprio bandido se entregou em uma delegacia local após o ocorrido. Segundo o chefe de polícia da Grande Manchester, Sir Peter Fahy, “ele agiu de forma fria” e todo o departamento “está chocado com o que aconteceu”.


Na Internet houve quem achasse não só esta como outras atitudes do bandido, que já era procurado por outros casos de assassinato, ruins. Pelo contrário, usuários do Facebook criaram páginas exaltando Cregan, chamando-o de “Lenda”, “Senhor Dale” e até “Herói”. No entanto, a rede social logo as tirou do ar. Antes disso, porém, as autoridades conseguiram prender, nesta quinta-feira (20/09), um dos responsáveis pelas ofensas.


O nome dele não foi divulgado, mas o jovem vai responder judicialmente por fazer “comentários grosseiros e ofensivos em websites”. O departamento de polícia da região emitiu uma nota oficial chamando o caso de “triste” e “malicioso”. Além disso, eles garantiram que levam estes comentários muito a sério e prometem punir quaisquer outros usuários com o mesmo tipo de comportamento.

 

Após 8 anos preso, inocente vive de favor em canil e aguarda indenização


O ex-segurança Wagno Silva foi condenado injustamente por latrocínio em 1997

R7.com 30/09/2012 14:21 
 
Foto: Leonardo Dias / R7.com
Wagno Silva vive de favor em um clube de criação de cachorros em Confins

Um erro da Justiça manteve uma pessoa inocente presa inusutamente por mais de oito anos. Hoje, quase sete anos depois de ser libertado, Wagno Lúcio da Silva continua pagando por um crime que não cometeu.
Preso em outubro de 1997, ele foi acusado de latrocíno contra um taxista na cidade de Congonhas, região central de Minas, e condenado a 25 anos de prisão. Após cumprir oito anos e três meses, ele foi solto em fevereiro de 2006. Mas o que deveria ser o começo de uma nova fase em sua vida se mostrou apenas a continuação do pagamento de uma dívida que ele não tem. Enquanto esteve preso, ele perdeu tudo que tinha: casa, família, amigos. O pesadelo, segundo ele, parece que não ter data para terminar.
Desde que foi solto, há quase sete anos, Silva  vive da ajuda de terceiros. Após morar durante quase um ano em uma cabana de lona em um lote vago em Congonhas, há cerca de seis anos ele vive na sede de um clube de criação de cães, na cidade de Confins, na região metropolitana de BH.
— A única coisa que fizeram foi me soltar na rua, eu tive que me virar na vida. Se não fosse pelo doutor Dino [Miraglia, advogado de Wagno] eu estaria perdido.
Presidente do clube de cães onde Wagno vive, o advogado é visto como uma espécie de pai pelo ex-segurança, já que foi ele quem lhe estendeu a mão nos momentos de dificuldade.
— Ele não recebeu nada, sequer uma cesta básica do Estado. Hoje ele sobrevive de bicos e do treinamento de cachorros.
Após entrar com uma ação judicial contra o governo do Estado, a 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) determinou em março de 2010 que Wagno teria direito a receber uma indenização de R$ 1 milhão (R$ 300 mil referente a danos morais, além de dois salários mínimos por mês desde sua prisão, cerca de R$ 750 mil). Porém, o Estado entrou com recurso contestando o valor. Desde então, o caso se arrasta na Justiça.
Enquanto aguarda uma resolução do seu caso, o ex-segurança sobrevive próximo àqueles que se tornaram seus maiores companheiros. Ele mostra grande afinidade com os cães e afirma se sentir mais seguro com eles do que com os seres humanos.
Apesar de toda dor e sofrimento que passou, ele não demonstra sentir ódio ou ressentimento. Perguntado sobre qual o seu sonho, Wagno disse que só quer justiça.
— Minha expectativa é resolver esse problema. Quero viver independente, como antes disso acontecer.
Coincidências
Quem ouve a história de Silva, não deixa de comparar ao caso considerado um dos maiores erros judiciais do País: os irmãos Naves.
Presos em 1937 acusados de matar o comerciante Benedito Pereira Caetano, em Araguari, no Triângulo Mineiro, os irmãos Sebastião José e Joaquim Rosa Naves foram torturados e presos injustamente. Anos depois foi descoberto que a vítima nem sequer havia morrido, e que estava morando na casa dos pais, no interior de Minas.
Tanto os irmãos Naves quanto Wagno foram condenados a 25 anos e três meses. O tempo cumprido, também foi coincidente: oito anos e três meses. A única diferença é que os Naves saíram por condicional, e sua inocência só foi provada anos depois. Já Wagno saiu inocentado de suas acusações.
Outra grande coincidência que une estes dois casos está na defesa. O falecido advogado dos irmãos Naves, João Alamy Filho, é avô da mulher de Dino Miraglia, advogado de Silva.

Após 8 anos preso, inocente vive de favor em canil e aguarda indenização

 

sábado, 29 de setembro de 2012

Sylvester Stallone quebra tudo em novo trailer de 'Bullet to the Head'


Longa enreda a história de um assassino e um policial que juntam forças

Vírgula 29/09/2012 18:36 
 
Foto: Reprodução
O ator aparece todo tatuado nas cenas do filme

Um novo trailer internacional da adaptação da HQ Bullet to the Head, dirigida por Walter Hill, foi liberado neste sábado (29).
A produção tem data de estreia prevista para o dia 1 de fevereiro de 2013, e além deSylvester Stallone, conta com Sung Kang,Sarah ShahiAdewale Akinnuoye-Agbaje,Christian Slater e Holt McCallany no elenco.
Bullet to the Head conta a história de um assassino de Nova Orleans (Sylvester Stallone) e um policial de Washington (Sung Kang) que formam uma aliança para acabar com malfeitores que mataram seus respectivos parceiros.
Assista ao trailer abaixo:



Famosos comentam entristecidos o falecimento de Hebe


Todos postaram no microblog mensagens homenageando a rainha da TV

Vírgula 29/09/2012 18:21 
 
Foto: Reprodução
Adriane Galisteu postou foto ao lado da diva da TV
Entre os milhares de tuiteiros anônimos que comentaram o falecimento de Hebe neste sábado (29), destacam-se alguns famosos que se consternaram com a perda da apresentadora.
Todos postaram no microblog Twitter mensagens homenageando a rainha da TV brasileira, e a 'hashtag' #RIPHebe já figura entre as mais postadas.
Confira alguns dos tuítes:
"Hebe, alegria de viver em forma de gente. Obrigado por iluminar a TV brasileira, gracinha #HebeGracinha? - Marcelo Tas

"Hebe, a maior de todas, nos deixou!! Triste! #RipHebe" - Fernanda Paes Leme

"Hebe luz de amor! Te amo lourinha" - Ivete Sangalo

"Hebe Camargo: o Brasil fica muito mais triste sem você! saudade, amiga!" - Gloria Perez

"Sábado ficou triste! Diva! RIP Hebe Camargo! Uma honra ter conhecido essa mulher admirável, guerreira, cheia de luz e carisma!" - Paloma Tocci

“A maior e mais carismática apresentadora de todos os tempos. RIP Hebe.” - Tiago Leifert

"A alegria, força, as gargalhadas e o jeito único da nossa estrela Hebe Camargo ficarão pra sempre nos nossos corações! #RIPHebe" - Sabrina Sato

"#HebeNossaEternaGracinha" - Léo Jaime

"Muito triste com a Morte da Hebe. Comecei a dar selinho nas famosas inspirado nela. Grande ícone da TV" – Rodrigo Scarpa, o Repórter Vesgo

"Hebe era o tipo de pessoa q tinha q viver p sempre! Dia triste! #riphebe" - Aryane Steinkopf


"Só agora fiquei sabendo que a Hebe se foi... Uma luz se apagou! A guerreira descansou! Sua alegria de viver sempre vai estar em nossos corações - Monique Evans

"Hebe minha musa inspiradora! Você foi um dos maiores presentes pra minha vida!!!! Muito obrigado pelo maravilhoso legado que vc me deixa! - Daniel, cantor

“Acabei de saber da HEBE. Poxa... Que perda. #luto” - Fiorella Matheis

"A TV brasileira perde a sua grande diva! Muito triste! Hebe pra sempre em nossos corações!" -Viviane Araújo

"Tô muito triste... Só de pensar na Hebe já tenho vontade de sorrir e falar 'Graciiinha', ela era linda de viver..." - Dani Calabresa

"Mais cedo ou mais tarde a vida de todos nós chegará ao fim. Essa certeza é mto difícil de encarar. Brindemos à vida e obra de Hebe Camargo!" - Marcelo Adnet

"Soube só agora da morte da apresentadora Hebe Camargo. Minhas sinceras condolências aos aos familiares. Descanse em paz Hebe" - Ceará

"Primeira vez que a Hebe faz algo e eu nao gosto" - Tata Werneck

"Que tristeza!!! Minha amada Hebe Camargo vai deixar muita saudade!!! Luz e paz querida!!!! Sua alegria de viver sempre foi um exemplo!" - Angélica

"???Puxa vida, querida e amada Hebe: que faça a passagem em paz! Obrigada por toda a alegria e doçura que espalhou no nosso mundo! R.I.P." - Ellen Jabour
Porém, quem mais sentiu entre os posts foi Adriane Galisteu, que inclusive inseriu uma foto ao lado de Hebe no Instagram:

“Sem palavras... #LUTO a melhor... Minha inspiração... Minha amiga querida... Meu amor... Hebe pra sempre! Pra sempre vou te amar... Não to conseguindo nem pensar direito... Atordoada... Arrasada... Muito triste....”, disse.
Outro que comentou foi o ator e diretor Miguel Falabella:

“Ela construiu a imagem dela, essa pessoa pública. E no pouco contato que tive, ela era muito alegre, muito ativa e sempre muito positiva. Marcou gerações e gerações, deixando o nome escrito na televisão”, disse ao vivo, visivelmente triste, Miguel em plantão especial do canal pagoGloboNews.
 


Relembre os trabalhos de Hebe Camargo no cinema e na música


Em 1966, foi ao ar pela TV Record o primeiro programa de domingo dela

Vírgula 29/09/2012 18:09 
 
 
Foto: Divulgação
A apresentadora dublando o filme 'Dinossauros' 
 
 
Além de diversos programas na TV, a apresentadora Hebe Camargo, que morreu na madrugada deste sábado (29?), aos 83 anos, ?após sofrer uma parada cardíaca, também participou de vários projetos no cinema e na música.
Antes de participar da primeira transmissão ao vivo da TV brasileira, a convite de Assis Chateaubriand, Hebe já fazia sucesso cantando com a irmã Stella na dupla Rosalinda e Florisbela.
Algum tempo depois, a loira fez história ao comandar o  programa O Mundo é das Mulheres, primeiro programa feminino da TV brasileira, que começou a ser exibido em 1955.
Em 1966, foi ao ar pela TV Record o primeiro programa de domingo de Hebe. Após passar por algumas emissoras de televisão nas décadas de 1970 e 1980, a apresentadora chegou ao SBT, onde liderou os programas HebeHebe Por Elas e Fora do Ar.
Em meados da década de 1990, Hebe voltou a cantar e lançou o CD "Maiores Sucessos". Antes deste, Hebe já havia soltado a voz em Hebe e Vocês (1959), Festa de Ritmos (1961) e Hebe Camargo (1966).
A música continuou a fazer parte da vida de Hebe ao longo dos anos; a apresentadora também lançou Pra Você (1998), Como É Grande o Meu Amor Por Vocês (2001), As Mais Gostosas Da Hebe (2007) e Hebe Mulher (2010).
A estreia no cinema aconteceu no filme Quase no Céu (1949), dirigido por Oduvaldo Viana, onde contracenou com Lima DuarteVida Alves e Lolita Rodrigues. Seu segundo filme foi Liana, a Pecadora (1951), e anos depois, Hebe atuou em Zé do Periquito (1960).
Em 2000, Hebe voltou a trabalhar com cinema na animação Dinossauros, da Disney, dublando a personagem Baylene. A apresentadora participou também de Coisa de Mulher (2005) e Xuxa e o Mistério de Feiurinha (2009).





Filha de Renato Gaúcho exibe pernas durante festa de despedida de novela


A festa da 'Cheias de Charme' foi realizada na churrascaria Porcão, no Rio

Vírgula 29/09/2012 18:47 
 
 
Foto: Reprodução
Ela deixou a mostra suas pernas em entrevista 
 
 
Filha de Renato Gaúcho e agora repórter do programa “Pânico na Band”, Carolina Portaluppi caprichou no visual para cobrir a despedida do elenco de Cheias de Charme da novela na última sexta-feira (28).

Com um shorts bem curto, a gata deixou a mostra suas pernas durante uma entrevista com Bruno Mazzeo, que interpretava Tom Bastos na trama. A gata aparece na imagem ao lado de seu companheiro de trabalho repórter Vesgo.

A festa foi realizada na churrascaria Porcão, na Zona Sul do Rio de Janeiro, e contou com a presença de todo o elenco da novela.