MATANDO A SUA SAUDADE - GRUPO DE AMIGOS

MATANDO A SUA SAUDADE - GRUPO DE AMIGOS
MATANDO A SUA SAUDADCE - GRUPO DE AMIGOS

RÁDIO PALESTINA FM 104,9

rádio palestina fm

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Atlético-MG goleia Arsenal-ARG fora de casa em show do garoto Bernard

Bernard marcou três gols, Jô e Diego Tardelli completaram goleada; Ronaldinho perde pênalti

UOL 26 Fevereiro de 2013 - 23:46 



Foto: AFP


Em seu primeiro jogo internacional pela Libertadores, após 13 anos, o Atlético-MG mostrou experiência e nervos no lugar para vencer o Arsenal, em Sarandí, de virada, por 5 a 2, depois de sofrer um gol logo no primeiro minuto da partida, em falha geral da sua defesa. Bernard, com a participação direta de Ronaldinho Gaúcho, fez três gols em uma partida em que brilhou o quarteto ofensivo atleticano, completado por Jô e Tardelli. Quando o jogo já estava definido, Ronaldinho sofreu pênalti, aos 41 min, mas mandou a bola no travessão.
O alvinegro mineiro não se permitiu o abatimento, após ficar em desvantagem no começo da partida, empatou seis minutos depois, assumiu a vantagem no marcador ainda na etapa inicial e soube ampliar o marcador, depois de segurar a pressão adversária no segundo tempo. Com a segunda vitória consecutiva, o time atleticano chegou a seis pontos e saldo de quatro gols, isolando-se na liderança do Grupo 3.
E o São Paulo, nesta quinta-feira, pode ajudar o alvinegro a ficar sozinho em primeiro lugar, já que recebe, no Morumbi, o The Strongest, da Bolívia, segundo colocado da chave, com três pontos em um jogo, quando venceu o Arsenal Sarandí, por 2 a 1. A equipe argentina é a lanterna do grupo, sem nenhum ponto, após dois compromissos.
Apesar de falhas em seu sistema defensivo, o Atlético-MG do meio de campo para a frente não deu chances ao Arsenal, levando à loucura os cerca de 2.500 torcedores atleticanos que compareceram ao Estádio Júlio Grondona e fizeram a equipe de Cuca se sentir em casa, em pleno território argentino. O quarteto ofensivo se destacou. Ronaldinho Gaúcho participou dos três gols de Bernard, enquanto Diego Tardelli e Jô marcaram os outros. Furch e Aguirre descontaram para o time da casa.
Embora com placar elástico, houve drama ao longo do jogo, o que é tão comum em partidas da Libertadores e que nos últimos 13 anos não fez parte da rotina atleticana. Os torcedores alvinegros que viajaram de avião, ônibus e carro de Belo Horizonte a Sarandí experimentaram sentimentos diferentes. Do susto à euforia, passando pelo temor da perda de um resultado, que aos 35 min da etapa inicial parecia sob controle. No segundo tempo, no entanto, foi só festa para os fanáticos alvinegros.
O primeiro tempo começou em ritmo intenso. O Arsenal abriu o marcador, logo a 1 min, quando Julio Furch aproveitou falha da defesa atleticana para aparecer livre e chutar forte, vencendo Victor, que tocou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa. O Atlético-MG, no entanto, não demorou a empatar a partida, o que aconteceu aos 7 min, por intermédio de Bernard, aproveitando belo passe de Ronaldinho Gaúcho.
As duas equipes se revezaram na tomada de iniciativa e na exploração dos contra-ataques. Em alguns momentos, o Atlético-MG se esquecia da condição de visitante e partia para o ataque, abrindo espaços às investidas velozes do time argentino. Em outras fases da partida, era o mandante que se lançava ao ataque, permitindo a Ronaldinho Gaúcho, especialmente, a ligação rápida com seus atacantes.
Na segunda metade da etapa inicial, no entanto, a marcação atleticana voltou a cometer falhas. Aos 25 min, Aguirre esteve perto de colocar o Arsenal à frente. Réver salvou e ainda tomou uma pancada do jogador do time argentino. No minuto seguinte, Furch colocou a bola na rede, mas a arbitragem anulou, alegando falta sobre Leonardo Silva.  Tardelli, aos 29 min, colocou o time visitante em vantagem. Jô, aos 35 min, ampliou, mas Aguirre, em cobrança de falta aos 41 min, recolocou o Arsenal no jogo.
Na saída para o intervalo, os jogadores do time argentino reclamaram muito da arbitragem de Martin Vazquez, que anulou um gol dos anfitriões e não marcou pênalti de Réver em Benedetto. Principal liderança atleticana em campo, Ronaldinho Gaúcho, deu a receita para a equipe mineira garantir a vitória. “Fizemos o mais difícil, virar o jogo, em uma competição como esta, agora é ter calma, jogar como visitante, não precisa jogar de igual para igual, é hora de ficar fechadinho, marcando e saindo no contra-ataque”, ensinou.
Os dois times voltaram para o segundo tempo sem mudanças. E o Arsenal iniciou pressão, finalizando bastante, conseguindo escanteios seguidos e insistindo nos cruzamentos altos sobre a área atleticana. Na base do quem não faz, leva, o Atlético chegou ao quarto gol, aos 9 min. Ronaldinho Gaúcho deu passe, Nervo bobeou ao tentar o corte e Bernard colocou a bola nas redes do goleiro Campestrini.
O quarto gol não fez o Arsenal esmorecer. O time da casa partiu novamente para o ataque, tentando aproveitar a insegurança da zaga atleticana. Mas a defesa argentina também se mostrou frágil e não resistiu ao entrosamento de Ronaldinho Gaúcho e seu pupilo Bernard, que marcou o quinto e o terceiro atleticano, aos 13 min. Depois disso, o time atleticano administrou a vantagem, contando com a queda de ânimo do Arsenal. No final, os torcedores atleticanos se divertiram com gritos de “olé” e ainda viram um pênalti sobre Ronaldinho Gaúcho, que desperdiçõu a cobrança.